“A MENTE E A MORTE”


Imprimir



Por Dilmar Dutra Biomédium Espiritualista Cristão em defesa do Ecumenismo Universalista, faz saber, em manifestação sensitiva e Mediúnica entre as Consciências descorporificadas de JESUS CRISTO com a Consciência  de Dilmar Dutra.

A Mente Psique Espírito, não localizada no Cosmo e no meio ambiente, é uma manifestação emergente do Criador, que interage com todas as criações da vida e da não vida, postando corpo, peso e massa na existência e dirigindo tudo do “TODO EU SOU, AQUELE QUE É ANTES DE TUDO EXISTIR,  no TUDO e no NADA da EXISTÊNCIA, essa “ESSÊNCIA INCRIADA E ETERNA   cria muitas moradas no meio ambiente cósmico, desde a não vida inorgânica, e num consórcio orgânico, cria a vida e a morte, assim como, a extinção, de forma transitória interagindo consigo, por “Fragmentos Espirituais”, chamados de Conscientes, medidos por graus, numa interação do princípio básico e holográfico, com todas as estruturas corpóreas, seja de vida ou de não vida.

Na vida transitória, que se finaliza na morte, toda estrutura corpórea é constituída de receptores e transmissores, localizados nos corpos, com filamentos proteicos, intermediários, microtubulares e filamentos, de plasticidades morfogenéticas, assim como, de torções biológicas.
 
Tudo isso, está inserido na célula com moléculas de almas viventes, para sua autosobrevivencia retroalimentar, de existência, por um conjunto de sistemas alimentares de uma cadeia de presas e predadores, onde todos comem todos, e todos, se alimentam de todos, contidos num ambiente, onde a Consciência  Espiritual, é manifestada por interação, via ebulição anaeróbica, em consórcio com a fermentação, respiração consorciada, entre condições anaeróbicas  e aeróbicas, adaptada hoje, pela supremacia do oxigênio, mantendo as condições anaeróbicos e aeróbicas. Esse tipo de alimento, propicia uma expansão de consciência, facilitando a interação Espírito Consciência,  responsável pela vida e a morte, do sistema único de vida, que é celular molecular, que desenvolveram todos os órgãos simbióticos das diversas espécies da diversidade vital, pela matriz psicocelular.

O TODO “EU SOU” AQUELE QUE É ANTES DE TUDO EXISTIR, ou o “EU MENTE PSIQUÊ ESPÍRITO”, criou a vida dentro de si, e a mantém pela cadeia alimentar almática material, interagindo como alimento “AMOR”, ao se dividir em fragmentos, ou, partículas de consciências, que os humanos rotulam de “ESPÍRITO”.
 
Esses Fragmentos Espirituais, entram e saem, via respiração, num continuum de VIDA, que é finalizada na MORTE, como fato inviolável e inegociável.

A falta de gases atmosféricos conduz inevitavelmente a MORTE, onde a consciência, abandona o corpo local, que é o alimento pronto para ser digerido, e é muito proteico, ou seja, transferindo todas as memórias atômicas, para novas VIDAS de decompositores que vão alimentar novas VIDAS, nesta condição primeva, a sua multiplicação ocorre pela mitose e pela divisão binária que continua a se nutrir com os registros armazenados nas almas moleculares e celulares, e é por essa  divisão binária da unicelularidade, ou, alma unitária, que sua replicação, viu a necessidade de crescer, engolfar digerindo e ao perceber o banco de memoria atômica, passou a não mais digerir a parte de memoria e criou a simbiose nos organismos multicelulares e consequentemente passou a se proteger com um útero quântico intimo e pessoal, e sua reprodução passou a ser pela divisão binária, mas pela meiose multicelular e simbiótica, de almas coletivas, onde a divisão binária, é manifestada em  almas  gêmeas, ou seja, oriundas da matriz psicounicelular.
 
“Deus Essência Eterna e Infinita, também, se fragmenta em partículas se dividindo subjetivamente, sem peso, massa e corpo, numa interação codificada, com suas criações da existência vital, com peso, massa e corpo, na condição primeva de células e moléculas em primeira simbiose na condição de existência a exemplo da Essência Divina, que também, se divide para sua multiplicação.

 A Essência Holográfica, ou subjetiva, deixa o corpo celular molecular, pela morte, à “Consciência Espiritual”, com memórias Akáshicas e subatômicas, retorna ao TODO, que os humanos chamam egoisticamente pelo EGO, que exclui equivocadamente, só para humanos, de “Reencarnação”, ou, de Encarnação. A Encelularização na divisão binária, pela rememoração, chamada de Reencarnação e a Memorização, chamada de Encarnação é algo impossível.

A carne surgiu nos seres vivos, bilhões de anos depois, como tecido nos seres multicelulares, por isso, essas terminologias rotuladas de Encarnações e Reencarnações, são reducionistas e equivocadas, e o próprio Kardec em sua Codificação Espírita, todas as vezes que se refere a isso, o faz assim: “Em que se funda o dogma da reencarnação?
Outra coisa impossível nos assevera JESUS CRISTO, é que a terminologia: Imortalidade de Almas, ou, de vida eterna é impossível de existir.
A morte é que sustenta a vida, e a vida, é constituída de células e moléculas, a Consciência Espiritual, não tem corpo, massa e peso. A Consciência Espiritual, não é constituída de células e moléculas. Ela é eterna, e nunca foi produzida por cérebro simbiótico, isso é um equivoco dogmático terrível. A Consciência Espiritual se alimenta do AMOR, e das INFORMAÇÕES COERENTES.

A Consciência Espiritual, é rotulada por humanos de Espíritos, e ele Espírito, não tem vida, ele é eterno, e apenas interage, com a matéria, seja, com vida, ou sem vida, ou seja, inorgânico,  ou, pelo consórcio de vida: Onde o inorgânico é de 71%  e o orgânico é de 29%.
Se “Deus Pai Criador”, permitir a imortalidade de almas viventes ocorra. Ele acaba, com a vida, ele se divide, e se fragmenta em partículas de Consciências Espirituais numa interação com a VIDA, E sua garantia de que essa Consciência, retorne da Interação corpórea é justamente a MORTE, pois a MORTE é quem garante, não só a vida, mas o retorno de parte de si mesmo, que é a Consciência Espiritual, o EU SOU de cada um,  ao Todo Único Eterno e Infinito.

A relação Mente/Corpo, existe entre a Essência e Existência.

Mas com certeza. Não é de Encarnação nem de Reencarnação, mas de Encelularização Molecular, de Memorização e Rememoração.  A “Eternidade”, não pode ser confundida com Imortalidade, ou, com “Vida Eterna”.
 
O Espírito (Consciência) é que é eterno.

A vida é celular molecular É da existência e é transitória.
O Espírito (Consciência), não come Espírito, para sobreviver.
Na verdade o Espírito (Consciência), ele é, o có-criador de suas almas viventes, ou seja, (celulares e moleculares).   
  
Observação final: De nossa parte, não estamos a destruir nada, viemos com a missão de defender a VERDADE, que LIBERTA o ser vivo das mirabolâncias incongruentes, dos dogmas, das mitomanias, mitologias, e das sombras, que colocam véu aos olhos da vida, como ela realmente é. 
Tudo na existência, precisa se corrigir no tempo e se adaptar a verdade.
Corrigiu e adaptou, fez a sua parte, em forma de transdisciplinaridade, com informações coerentes, ou irá, conservadoramente estagnar até alcançar a extinção.
 
“A VERDADE, é FILHA DO TEMPO”, e não da autoridade humana.
Beijos de LUZ nos corações e cérebros simbióticos, iluminados pelo EU SOU, AQUELE QUE É ANTES DE TUDO EXISTIR.

Namastê: Dilmar Dutra e Marlene Chaves.