“O AMOR! É NEUTRO, NÃO TÊM DUALIDADE NEM POLARIDADE.”


Imprimir



PENSAMENTO UNIVERSAL E CÓSMICO.

POR DILMAR DUTRA, BIOMÉDIUUM AUTODIDATA EM ESPIRITOLOGIA E CRISTOLOGIA, EM PLENITUDE CÓSMICA, COM AS CIÊNCIAS INTEGRAIS A SERVIÇO GRATUITO DA HUMANIDADE.

O AMOR é a melhor forma de definir aquele que é o antepassado de tudo que possui vida e não vida, ou “DEUS”, sem polaridade e sem dualidade onde a Neutralidade e a Imparcialidade se manifestam em tudo que cria dentro de si.

Não podendo ser visto, tocado pois é subjetivo e holográfico, pela sua Inefabilidade e sua Incognóscivibilidade Campal ou um Sistema representado pela sigla supracitada ou rotulada de DEUS ou na Horizontal como Divino Espírito Único Singular. Já na vertical nosso idioma Português propicia pela riqueza pronominal, verbal e adjetival, muito próxima do dialeto Naacal, que se falava no Continente Perdido rotulado de Atlântida como o exemplo que daremos agora:

O “D” – significam entre outras coisas: DIVERSIDADE; DIREITOS, DEVERES, DIVINDADE ETC.

O “E” – Significam entre outras coisas: ESPÉCIES; ESPIRITO; ESPERMA; ESPERANÇA; ETC.

O “U” – Significam dentre outras coisas: UNICELULARIDADE, ÚNICO; UNIVERSO; UNIÃO; ETC.

O “S” – Significam dentre outras coisas: SISTEMA, SINGULARIDADE, SOCIEDADE, SACIEDADE ETC.

Esta tradução me foi passada como REVELAÇÃO. Pela CONSCIÊNCIA ou ESPÍRITO, telepaticamente sob condições medianeiras, sem corpo, peso e massa, ou seja, descorporificada daquele que atendeu há mais de 2000 anos atrás pelo nome civil de JESUS DE NAZARÉ – O GNÓSTICO CRISTIANIZADO, TAMBÉM CONHECIDO COMO O JESUS REAL, NA CONTRAMÃO DO JESUS COMERCIAL, IDOLATRADO PELAS RELIGIÕES QUE SÓ SEPARAM NA CONTRA MÃO DO ECUMENISMO.

O Amor Universalista, está inserido em tudo que possui vida e não vida, uma condição da existência Quântica e ou Intaquiônica, elaborada e criada na Essência Taquiônica do TODO “DEUS” que não cria fora de si.

Todavia! É preciso entender que todas as suas criações, estão contidas dentro do Sistema Campal Perfeito e Eterno da Essência, sob total inteiração, partícula de si mesmo, ou a partícula de “DEUS”, chamada de Consciência ou Espírito, que nós dá Autopoiese, Apoptose, tomada de decisão e de fazer escolhas- (Heresias), coisa que significa a mesma coisa, para vida transitória com ou sem longevidade sempre finalizada pela Morte, que abandona o corpo e retorna ao TODO e pode renascer em um Novo corpo para uma nova vida pela chamada Inteiração de um código inviolável de Integração, ou seja, o corpo transitório volta para o pó e a Consciência ou o Espírito retorna ao TODO e mantém a UNIDADE como UM (UNO) e justifica a oração de que TODOS SOMOS UM NO AMOR E NA CONSCIÊNCIA esteja corporificada ou descorporificada pela Morte que se transforma em alimento pronto para sustentar a VIDA, por isso não se pode dar IMORTALIDADE para a MORTE por que a VIDA depende da MORTE como alimento supracitado. Se tal involução pudesse ocorrer a Vida desaparecia ou insubsisteria, ou deixaria de existir. Portanto vida Eterna é um dogma do autoengodo humano. Assim como, Imortalidade de nada, também é.

A imparcialidade do AMOR sem polaridade e sem a dualidade passa rigorosamente pela neutralidade diante do respeito as diferenças estabelecidas de forma intima e pessoal, diante de mais (+) um dogma, dentre muitos outros que por ilação e fanatismo, estabelece os Apartaid(s) que designam Segregações Raciais, para uma ideologia fora da Raça Humana, independente da cor, ou das separações em castas, Reis e Súditos, Aristocracias e Burguesias etc. etc.

Essas diferenças nessa Nova Era de Luz, também devem desaparecer, pois as diferenças é que fazem de nós diferentes, ou seja, a igualdade está justamente em nós de forma intima e pessoal na qualidade de lideres de si mesmo, na totalidade todos somos um, pelo Amor, Pela Dor, pela vida e pela não vida que interagem codificadamente pelo AMOR E PELA CONSCIÊNCIA, diferença é apenas uma alternativa de igualitariedade, em que podemos por partes ou fragmentos de caráter pessoal, intimo para expressar a parte do TODO que você representa em numero, gênero e grau na condição de juízo diferente e não melhor ou pior para pronunciar a individualidade existencial de cada um. Para exercer ser LÍDER DE SI MESMO COMO CRIATURA DO CRIADOR que UNIFICADO pelo TODO. ASSIM TODOS UM (UNO).

Esperamos com isso, haver explicado coloquialmente o que significa o AMOR, A CONSCIÊNCIA E O RESPEITO AS DIFERENÇAS.

Beijos de luz. Dilmar Dutra.