,

“O FILOSOFO DO ILUMINISMO”


Imprimir



São Lourenço M.G. em 07.02.2018

Por Dilmar Dutra – Biomédium autodidata em Ciências Integrais e Espiritologia Universalista a Serviço Gratuito da Humanidade – faz saber, após receber mais uma revelação sustentada pelos fatos registrados na história épica do iluminismo. Esta revelação tem a autoria do Mentor identificado como a Consciência descorporificada em dimensão holográfica de forma telepática, também, chamada de mediúnica que foi recebida pelo biomédium em causa. Para falar do Filósofo: François Marie Arquet – Um “Deísta” mais conhecido por “Voltaire”, que já naquela época, reconhecia o “Deus” como um Sistema Campal de Influência, que só cria dentro de si. Esta convicção! Que este que vós fala é “Jesus de Nazaré” o Gnóstico Cristianizado, que confirma por esta revelação, ratificando-a pela congruência como fato histórico, recebida telepaticamente, com o auxilio do compêndio celular e molecular, que envolve o SER VITAL evoluído em autopoiese, como princípio meio e fim.

Fim este que termina pelo código apoptose. Onde está no comando, sua própria Senciência Celular, que de forma primeira se constitui assim: Já como Almas Grupo Viventes pelo GENE de forma transitória por uma relatividade simbiótica ou seja, misturando com elementares primevos, sob a supervisão total de uma partícula subjetiva e holográfica do fragmento espiritual, oriundo do “EU SOU” o antepassado de tudo que originalmente criou vida, constituída individualmente de células e acelulares, em simbiose com moléculas de almas grupo ou coletivas num compêndio singular e plural pela realidade do que seu resultado final manifestou-se nos SERES VIVOS CONSTITU[IDOS DE CEREBROS em grau de evolução para cada espécie, com tomada de decisão e escolha, já com o comando da Consciência Espiritual, ou Espírito, foi capaz de intuir e co-criar, via “Pensamentos Iluminados” desde sua Criação, capaz de perceber, deduzir, fazer Análises Preliminares e concluir: Que o aspecto “igualitário” tem códigos invioláveis pela chamada condição ética moralizante.

E assim, Voltaire com sua língua afiada, a exemplo de JESUS REAL desafiou e combateu as mentiras e falsidades em sua época denominadas e decretados como bulas religiosas e canônicas que impuseram a humanidade no oriente e ocidente as chamadas religiões onde seu ícone é um JESUS COMERCIAL.

Com suas convicções pertinentes baseados nos princípios da igualdade e igualitariedade pela verdade que liberta o SER, percebida, pela sua defesa das liberdades civis, assim como, pelos considerados Decretos religiosos chamados de Bulas, separatistas e religiosas, numa disputa que buscava arregimentar pelas catequeses e doutrinas, Seres Humanos, objetivando aumentar o numero de contribuintes, usando as civilizações humanas, como massa de manobra.

Por estes “fatos” observados, percebeu que Jesus real e Espiritual, havia sido substituído por um Jesus imaginário e comercial, cuja ganância, produziu a divisão da Igreja Cristã.

A dificuldade de enfrentar os Poderosos que punia os hereges (aqueles que faziam escolhas na contra mão dos que estavam exercendo algum tipo de PODER.

– Eram caçados e punidos como FATOS REAIS.

– Resolveu de forma elegante, tomar a defesa da burguesia, contra a aristocracia detentora do poder, subjugando pelas bulas religiosas, que nem os Concílios Ecumênicos, conseguiram a reunificação das igrejas protestantes e Católicas, já separadas se fracionando cada vez mais, com a ganância e disputa pelos contribuintes vistos como massa de manobra humana.

Decidiu com sabedoria que lhes eram próprias, usar verbetes, ensaios, poesias e parnasos, para propagar suas idéias de libertação das massas humanas.

E a Consciência Espiritual, como Tesouro de Orientação, que um dia no passado habitou o corpo de Jesus de Nazaré o Gnóstico Cristianizado, destacou um parnaso de autoria de Voltaire, Sob as luzes do saber, em Verdade e Espírito sob investigação dos fatos, historicamente registrados em consórcios, com os sensitivos que faziam revelações. Concluiu: Como Verdadeiras, por reconhecer o pensamento, como Fato Psíquico, sem peso, massa e corpo. Usou do artifício elegante, de fazer ensaios e verbetes poéticos assim: “As almas misturadas em grupo, reunidas num corpo e são como o fogo, mais se o Espírito parar de soprar, elas se apagaram”.

Para Voltaire “DEUS era o Grande Senhor Mestre de TODO O UNIVERSO”.

Hoje citado como “O Grande Arquiteto do Metaverso e seus Multiversos Paralelos."

– Oriundo da singularidade, ou Espírito Mente Psique, que se fragmenta holograficamente sem corpo, peso e massa, como Tesouro de Orientação, ou Espírito Eterno, que criou as almas viventes corporificadas como células e moléculas, com autopoiese e apoptose codificadas como luz via RNA primário e DNA secundários e holográficos, que sem o Sopro Espiritual, não poderiam existir, e assim concluiu pelos ensaios dos verbetes contidos no Parnaso esses FATOS.

“Tudo que a poeira cósmica elabora no silêncio inteligente do Espírito que usou e usa esse rudimentares, encontra o principio como a fonte Eterna da origem singular. Faz emergir das cósmicas matérias, os invisíveis protozoários da confusão das mônadas embrionárias, que se fez pelo sopro a “VIDA RELATIVA E TRANSITORIA OU TRANSSUBSTANCIAÇÕES DUAIS E BIPOLARIZADAS.”

“Jesus” então faz uma colocação final:

“Esses são os fatos, que ao serem colocados sob a mesa, pela sua coerência cientifica, devem prevalecer em Espírito e Verdade, iluminando os dogmas religiosos, políticos, conceituais, etc.. E adotarem, até mesmo como acadêmicos. reconhecendo e praticando em Verdade e Espírito, essas adaptações para o restabelecimento da verdade e espírito essas adaptações para o restabelecimento da verdade que liberta os seres da escuridão.

O Espírito é a Mente Psique, que nunca nasceu, nunca viveu e nunca morreu. É eterno e deve ser cultivado como um Campo de Influência e nunca como um corpo.

As almas viventes, tanto no singular como no plural, são constituídas de células, fungos, e acelulares em simbiose, com as moléculas, sendo a molécula mãe “AGUA” reconhecida como o solvente da vida e é um fato que ninguém por mais ignorante que seja pode negar.

Não são imortais, são mortais, porque a vida é constituída de células e suas proles. E são codificadas pela autopoiese e pelo apoptose – Todas são codificadas por uma programação para morrer. Não tem por que! Chamá-las de Eternas e Imortais. Elas são relativas e transitórias, numa evolução de combinações recombinações e adaptações.

Ao morrer. – A Consciência Espiritual Eterna, retorna ao TODO e deixa na terra, ou no fogo, essa “carcaça corpórea” para servir de alimento aos decompositores e fragmentadores para suprir a cadeia de presas e predadores, que de FATO todos comem todos e todos se alimentam de todos.

A verdade como FATO REAL é que não existe ressurreição na carne, encarnação e reencarnação. Tudo isso é dogma. O que existe realmente é uma renovação de corpos: nascendo para vida e morrendo para libertar o Tesouro de Orientação, rotulado de Consciência Espiritual, que é um fragmento do TODO MENTE PSIQUE ESPÍRITO.

Isto por que: A autopoiese com torções cósmicas e biológicas mais plasticidades morfos e morfogenéticas são codificadas pela relatividade geral e transitória - combinam recombinam e se adaptam, num habitarte compatível com a vida, num modus continuum, de vida como um todo.

E assim o FATO PRIMEVO, nos mostra que o Sistema “Deus não cria fora de si. Só cria dentro de si. Atenham-se aos FATOS REAIS, que devem registrar a verdade que liberta.

Assim! A Consciência descorporificada, subjetiva e holográfica de Jesus de Nazaré O Gnóstico Cristianizado, revelou recomendando a todas as Criatura do Criador: SEJAM LIVRES, SEJA LIDER DE SI MESMO – VOCÊ PODE CÓ-CRIAR então CRIE E LUTE PELOS SEUS DIREITOS, RESPEITANDO SEUS DEVERES E VIVA por momentos vitais de PLENITUDE.

Beijos de luz no seu caminhar.

Dilmar Dutra.