“MEMÉTICA – INVASÃO DAS MENTES”

Imprimir

Postado em 1º de outubro de 2010.

REVELAÇÃO ESPIRITUAL: Como Ciência Original “MEME” nome dado para homenagear a Alquimista e Sacerdotisa “MEME”, esposa de “IMHOTEP”, que usava O Olho de Horus Mediúnico, para acompanhar nas Cavernas de regiões Vulcânicas do Egito a ebulição e fermentação, invisível da vida almática, ou do plasma, considerado o quarto estado da formação da matéria, manifestada no ambiente telúrico, diferente daquele meio ambiente telúrico, que conheciam e respiravam. A Sacerdotisa “MEME”, esposa do meu principal MENTOR, defendia que a MENTE é algo extrafísico, que dirige e interage com tudo é com todas as espécies da Diversidade Planetária. Segundo a Alquimista e Sacerdotisa “MEME”, A Mente é um Campo Taquiônico de Informação e Inteligência Espiritual que inseri códigos por incorporação parcial de Consciência que incorpora parcialmente, desdobrando (regredir ao passado) e dobrando (avançar para o futuro) e isto segundo elas é privilégio de todos os Seres vivos do Microcosmo, sem uma localização exata dentro do TODO. Para ela! Era mais um tipo de VIDA, diferente e primeva, que fora adaptada por estes micróbios invisíveis geneticamente e que tinham códigos espirituais e mentais extrafisica, que materializavam as matrizes de todos os sistemas vivos com códigos genéticos. COMENTARIO DO MEDIUM: Nossos estudos apontam para esses códigos e que hoje, são chamados de RNA primevo e DNA secundário. “MEME” estava certa. E hoje estudamos tudo isso, pelo Campo Unificado, defendidos por nós, “eu meu parceiro o Educador José Eduardo”, e muitos cientistas na atualidade que também defendem a teoria unificada e que chamam de Campo Akáshico, muitos defendem esta teoria do Campo Unificado, em perfeita sintonia com Espiritualidade e Ciências Integrais. E para nós, “MEME” tem esse aspecto integrativo e é uma ferramenta usada para explicar muitas coisas, e esses detalhamentos serão minudenciados a partir da parte II dessa matéria.

Autor do comentário e desta matéria Dilmar Dutra – Médium, Autodidata Cientifico.

Fonte: Espírito IMHOTEP, meu principal MENTOR ESPIRITUAL, chamado pelos Gregos de HERMES TRISMEGISTO e, por NEO, conhecido como “SOCRATES”, que chamou IMHOTEP de “ESCULÁPIO”.

Agora! O termo “MEMÉTICA” é uma tentativa de adaptar uma teoria pretensiosa e deturpada, fora do aspecto original. Aliás! Prática adotada por Seres Humanos há milênios e é isto, que me fez quebrar o silencio que normalmente faço, em discordância por razões de respeito a essas diferenças arbitrais. (Aprendi com IMHOTEP, que não devemos dar informações há quem não tenha capacidade de compreender estas informações. Porque, seria um exercício inútil). Mas neste caso, em respeito aos grandes cientistas, inteligentes e respeitados, que buscam uma saída para suas teses, quebrei o meu silencio para manifestar minha opinião contrária, face a proposta da, “MEMÉTICA”, estar completamente na contra mão das expansões de consciências e da Espiritualização das Civilizações Planetárias. Alem de distorcer o fato original, aonde a afirmação de “MEME” é justamente o oposto, negando condições de pessoas para pessoas, mais afirmando categoricamente que não existe determinismo genético, muito pelo contrario, afirma que as condições da “Mente” é extrafisica, e que todos os sistemas vivos têm condições de possibilidades e probabilidades e nunca de pessoas para pessoas, mais de sistemas vivos para sistemas vivos. A colocação infeliz e equivocada, eu compreendo perfeitamente, vejo uma resistência em ignorar o Microcosmo que é a raiz de tudo. Um beijo no coração de todos. E muita Paz: Dilmar Dutra. Agora! Vamos a primeira parte como introdução.

Parte I – “Introdução”.

Vejo com muita preocupação o que vem ocupando as capas de Revistas Filosóficas respeitáveis, alimentando uma noção pseuda (falha) de propostas Filosóficas e Científicas Particulares em substituição a uma teoria EGÌPCIA de autoria da Alquimista “MEME” tentando adaptá-la, como uma teoria e genética. No meu entendimento, inconsistente e totalmente materialista, diferente da original que é totalmente Espiritual, tentando desesperadamente ressuscitar o moribundo materialismo da inconsistente Teoria Darwiniana, aonde questões equivocadas, e já sepultadas, por estudiosos do consórcio chamado de “Campo Unificado de todas as Ciências Filosóficas que estão interconectadas e interagindo entre si, na busca pela verdade”. “E disponibilizando todas as tecnologias desenvolvidas pelo “Criador Único – Deus”, como ferramentas criadas pela Mente Maior” para criar o Metaverso, com seus Multiversos Quânticos Mentais. Criando a existência na inexistência, onde cada partícula cósmica, trás o código genético (gênese), capazes de captarem e interagirem entre si com as consciências medidas em “GRAU” para cada espécie da Diversidade Cósmica, que interage com o nosso Planeta Terra.

Tenho por principio moral, respeitar todas as diferenças e todas as opiniões individualizadas e seguidoras dessas pretensões desesperadas e materialistas, diante da “Noção Espiritual” avassaladora as portas da “Nova Era”, numa tentativa de sobreviver pelo saudosismo simpatizante de seus ídolos engessados, pelo conservadorismo estagnado. – Até aí! Consideramos uma condição normal e natural, de uma parte que representa uma minoria nas civilizações Planetária como escolha e modo de vida bem como, em respeito ao chamado livre- arbítrio.

Tudo isso! Nós aceitamos, respeitamos, estudamos digerindo, questionando e guardando silêncio, porque as opiniões precisam e devem ser respeitadas, mesmo que a nossa opinião seja contrária. Nós também temos “Ídolos”. Eu por exemplo tenho “Jesus Cristo” como ícone de referencia moral, além de admirar e respeitar todos os lideres espirituais, que trabalham no Amor e na Seara do bem. E até mesmo aqueles, que se declaram ateus, céticos, evolucionistas, criacionistas, humanistas. Posso discordar de suas opiniões de suas teorias etc. Mas respeito e reconheço suas inteligências suas capacidades, e suas contribuições, cientificas e pertinentes.

Suas competências e suas contribuições a ciência a filosofia, a sociedade como um Todo, que pode beneficiar-se de seus estudos culturais, e de suas crenças, sejam elas quais forem. Para mim, por exemplo, materialismo é superstição engessada no saudosismo de um dogma que estabelece uma sentença. “É assim e pronto! Esta acabada”. Princípio da radicalidade bipolar, ora em carência, ora em excesso. Mas a minha opinião não me dá o direito de achar que eu vou ter todas as respostas por uma Pseuda Filosofia ou Ciência ancorada particularmente, fora do Campo Unificado.

Muitos Cientistas inteligentes, competentes e capazes em suas áreas especializadas da Biologia como Etólogos, Zoólogos e Evolucionistas e Criacionistas, sustentam suas opiniões diferentemente da minha e, eu os respeito, estudo seus trabalhos, suas capacidades em mostrar novos caminhos, novas descobertas. Mesmo por que! Não acredito em obras de um ser humano só! Acredito que um conhecimento, leva a outro conhecimento e, é isto, que fazemos no “Campo Unificado”.

Considero por exemplo o Biólogo, Etólogo e Zoólogo, Clinton Richard Dawkins natural do, Quênia, ou seja, da capital Nairóbi. Um dos maiores cientistas da atualidade, para mim, um gênio da ciência, leio, releio e treleio suas obras e, aproveito como ensinamento ratificador (confirmador) de todos os meus e seus estudos coerentes e, que se enquadram no Campo Unificado! Mas me permito justamente por respeitá-lo muito, também o questiono muito, em suas considerações. Penso que ele, segue CHARLES DARWIN, o criador da Teoria da evolução das espécies, é um direito arbitral dele. E no uso do meu direito arbitral, eu sigo JESUS CRISTO, O homem que mudou a História da Humanidade, substituiu a “Lei do MEDO”, a lei de Talião (dente por dente, olho por olho) pela “Lei do AMOR”. E estou muito bem obrigado! Vivendo no Amor. Vejam! “Eu amo e respeito até, os materialistas, acho que eles contribuem significativamente, neste Multiverso Quântico de Probabilidades e de Possibilidades, eu até acredito na evolução de consciência. O que eu não acredito de jeito nenhum. E na geração espontânea, na seleção natural, e na Teoria Darwiniana, porque sei que a matéria não evolui, ela se transforma se adapta e vai para a extinção, como também, não acredito totalmente na Memética do jeito apresentada por eles, apenas parcialmente no que concerne como força de união e outros aspectos que irei abordar na parte II desta matéria.

Termino a parte I. Enviando a todos um forte abraço e beijos no coração. Aguardem a parte II. Aqueles que quiserem, maiores detalhes e estão curiosos em saber mais depressa a correlação que existe em relação ao Olho de Horus, símbolo de nosso site, eu indico um estudo que quase chegou às revelações que fiz na inicial, para abordar o assunto. Pesquizar no Google: Augusto de Franco - O Olho de Horus - clique em estou com sorte ao invés de pesquisar.

Dilmar Dutra e Marlene Daltro.