A NEUROPLASTICIDADE MORFOLÓGICA


Imprimir  

 

PARTE 9

A Relação da Plasticidade com o Instinto, com a Cognição e com a Racionalidade (razão).
Postado em 30.10.2009.

      A Plasticidade, bem como, a “cognição” que já explicamos o que significam nas partes anteriores. Vamos definir agora, o que significa instinto e razão (consciência).

     Instinto (do latim instinctu). Espécies de inteligências primevas (não confundir com primitiva), geralmente, aplica-se a palavra com o sentido de, à revelia de sua vontade, interpretação que discordamos, face, a nossa observação e estudo, apontar que instintos, são padrões de herança herdados do DNA das bactérias ou simplesmente DNAs, ou Amor em expansão, que transcendeu por todas as espécies animais e vegetais. Eu diria mais, os estudos morfológicos que definiram os instintos, ignoraram inabordavelmente, depois dos registros humanos da vida (alma), por que o instinto como dissemos a nosso ver, foi uma visão do macro, em relação a uma abordagem relacionada mais ao micro, porque vem das profundezas, dos seres bacterianos microscópios e chegou até a espécie animal humana, como recursos somáticos magnéticos indispensáveis a manifestações da razão, ou que se canalizam na direção do bem, como um socorro íntimo inconsciente, que na verdade, é um tipo de consciência determinada pela observação, acumulada na memória filogenética e no cérebro constituído em gênero, para manifestação em grau, da malha eletromagnética, via magnetitas vivas.

      No passado. A falta de estudos mais profundos, fez com que definissem por ignorância, a palavra Instinto, como loucuras inexplicáveis, num segundo momento, como manifestações espirituais. Algum tempo depois, os religiosos definiram como dogmas, dando a expressão: “instinto”, uma conotação de colapsos nervosos, decorrente do trauma nas “Sinergias” e que chamaram de corpo espiritual. (Como se energias, pudesse ter corpo, uma incongluência dogmática. Energias, só podem ser determinadas por campos, quaisquer crianças que estão cursando o fundamental, sabem disso).

      Os sábios e cientistas do passado definiram o instinto, como inteligência rudimentar.

      Os avanços biológicos mostram que a criação das magnetitas vivas, está ligada ao campo mental espiritual ou energético, que interage com o magnetismo do meio ambiente.

      Exemplo: Instintos são as percepções anímicas, e estão ligados a plasticidade, que, ao captar anormalidades, ou experiências mal sucedidas, ativam o sistema imunológico morfológico, pelos caminhos das experimentações (sensações multifárias) e o chamado despertador, capta alterações no meio ambiente. (A maior prova disso é que os ecologistas, e ambientalistas defensores dos animais, urinam nas trilhas dos caçadores para que os animais pelos instintos possam captar o cheiro da urina, dos humanos e fujam dali, sempre na direção dos pólos eletromagnéticos, ou seja, o aprendizado é que faz a diferença, ou evolução da cognição. Percepções Animicas).

      Obs. (Todas as vezes que as expressões verbais ou palavras como “ignorância”, “equívoco”, e “incongruências”, forem usadas por nós, não devem ser interpretadas, com conotações ofensivas, mas no sentido primário e original, as duas (02) primeiras “ignorância e equívoco” no sentido cognitivo, ou seja, de aquisição de conhecimento, a terceira palavra, “incongruência” no sentido original, de ausência de Verdade. Esta nota torna-se necessária, face os dogmas, haverem deturpado o sentido original e que está consagrado na mídia, como se Verdade fosse).

      Agora vamos falar de racionalidade (razão ou consciência), ou ainda, como colocações materialistas e dogmáticas religiosas, consagradas na mídia também, como se verdadeira fossem.

      As Ciências Integrais, em Perfeita Sintonia, com a Espiritualidade Integral, derrubou de vez, o idealismo dogmatizado que propunha uma consciência vazia, sem vivencia e experiências. Esta incongruência perdeu sua sustentação, diante dos saltos quânticos da Bioquímica, ao observar que o Instinto, é o precursor das consciências, com manifestação racionais. A própria Ciência, imaginava estar longe de explicar detalhadamente o processo razão consciência, ocorre que na última década, saltos taquiônicos e cognitivos ocorreram, e foram registrados pelas Ciências Integrais, e muito se avançou nesta área, e, já se sabe. Por exemplo: Que razão da consciência é imediatamente igual a si mesmo, em grau, nunca em gênero. Isto levou estudiosos a afirmarem. “Que a consciência é do Eu Mente Espírito (e que não tem uma localização exata dentro de um corpo, ou seja, ela atua no Campo Mórfico, do Meio Ambiente, revestindo ou interagindo, esse corpo fluídico almático, ou Físico, e ali, aloca, nas memórias filogenéticas, ou no compêndio de memórias filogenéticas que formam os cérebros, que são chips de memórias do computador do genoma, que é totalmente constituído de células. E isto fica cada dia mais claro. Uma célula, ou organismos unicelulares, são almas simples. Organismos multicelulares são almas-grupo, porque são resultados de engolfamentos simbióticos, sem digerir, ou seja: Células dentro de células, órgãos dentro da Unidade Bioquímica composta, de 71% de Inorgânicos (água e Íons) e de 29% de orgânicos, que em sua grande maioria são “DNA” e “RNA” (ácidos Nucléicos) e proteínas (carboidratos) por sua abundância no ambiente, além de fibras, hemácias, soros, fragmentos bacterianos, um pouco de glicídios, um pouco lipídios e muita água.

      Estes componentes inorgânicos e orgânicos são as composições almáticas, ou fluídicas vitais, que inclusive levam a existência da hibridização e a conclusão biológica que a célula simples, ou alma no singular, ajuda a entender a origem da vida, passando pelas almas-grupo no plural, ou almas multicelulares, e o surgimento primevo do RNA - (sigla para o Ácido Ribonucléico), que é um composto orgânico complexo.

      Com esta explicação e preciso abordar o Xilema que é o responsável pelo transporte de água (elemento inorgânico), ou melhor, Xilema e Floema (tecidos vasculares condutores traqueófitas (transporte de seivas brutas e elaboradas), água e sais minerais (fisiologia animal e vegetal) – Sistemas almáticos, construídos pelo ”Eu Mente Consciência Espírito”.

      Obs.: A sigla para DEUS significa “Divino Espírito Único Sagrado”, ou “Divina Energia Única Sagrada”, porque a energia Clara (luz), de velocidade, na colisão, funde-se, com a energia oculta (escuridão), de potencialidade. E se transformam em uma única Energia Equilibrada e harmonizada, chamada Taquiônica, sentida por todos os sistemas vivos como (AMOR). E a “Energia Intaquiônica ou, Quântica”, se manifesta como efeito, da causa taquiônica e também, é sentida como (MEDO). Ambas, estão contidas em DEUS. A Energia Taquiônica, que estabelece a Ordem no Caos. E a Energia Intaquiônica, chamada de Energia Quântica, que estabelece a dualidade bipolarizada dos sistemas almáticos simples e complexos.

      Com estas explicações, finalizamos a parte 9 num total de 10 da “Neuroplasticidade Morfológica”

Um forte abraço e um beijo no coração de todos

Ir para a parte 10

Fonte da Informação: Espíritos Diversos, Fonte receptora: Dilmar Dutra – Autodidata e Médium Científico.