“O Campo de Ponto Zero”

Por: Dilmar Dutra – Médium Autodidata Científico
Autoria: Imhotep (Hermes Trismegisto)

      Na verdade, o “Campo de ponto Zero” é um Campo que poderíamos chamar de “Campo Akáshico” ou “Campo Taquiônico”, e “ele” foi detectado por um grupo de Cientistas, em 1970, induzidos por Diversos Espíritos, onde todas as observações perceberam um “Campo de Energia Taquiônica”, cuja potencialidade era de 27 vezes maior que a “Energia Quântica”. Isto deixou-os surpresos, espantadíssimos na época. Como poderia um imenso espaço, no Universo, manifestar-se com fortíssimas vibrações energéticas de partículas subatômicas? Denominaram-no de “Campo de Ponto Zero Quântico”, ou seja, um espaço imenso neutro (morto), interagindo e manifestando a própria vida, guardando segredos anteriores a singularidade. Naquele ponto, “eles”, cientistas, imaginaram residir toda a verdade que a Ciência buscava.
        Não só da matéria, como de todas as energias, mostrando, claramente, não ser a “Consciência” um fenômeno localizado, mas sim, um fenômeno não localizado, onde o “Campo Taquiônico”, chamado “Quântico” equivocadamente, que interagia e revestia toda a matéria em “Corpos”, por fluídos vitais, ou por membranas. Ali estava a caixa de “Pandora” tão citada e buscada, onde, poderia conter todas as respostas formuladas pelos humanos, às suas perguntas formuladas pelas observações e percepções, que não puderam ser respondidas, até que esta maravilhosa descoberta ocorreu, e que irá revolucionar de vez, a “Física Quântica”, que será respondida, de agora em diante, pela “Física Taquiônica”, deixando definitivamente, as idéias formuladas pela “Física Clássica” do século XVII, adotada até hoje como a base fundamental da Ciência moderna, onde o consenso consagrado ainda é do mundo material, em que as partículas individuais da matéria estão desligadas, umas das outras, e que referendou o equivocado conceito religatório ou religioso. A mecânica quântica só se aplica, em alguns casos, à matéria, nos casos de colisões de energias, onde a neutralidade surge, mostrando que pela união, creação, diante da colisão, criam-se os “átomos”, com o surgimento da maior força de atração do Metaverso, que contém os Universos paralelos, constituídos de Galáxias. E esta força interage e dirige, o tempo todo, a criação e a destruição; expande infinitamente pela velocidade e potencialidade de uma energia oculta (escura), que se desenvolve 27 vezes à frente do alcance da luz. Com estes novos entendimentos, ficará sempre o questionamento:        “A luz nunca poderá alcançar a expansão, e nunca a encontrará ou iluminará as fronteiras do Metaverso. Mas a percepção pela Plasticidade, aliada à Neuroplasticidade, manifestada pelo efeito sinesteta, viaja pela malha eletromagnética, efeito este, de que dispõem todos os sistemas vivos sem cérebros, ou com cérebros e, podem sim, alcançar percepções à frente da luz”. Desde o chamado “Campo de Ponto Zero” até alcançar a “Consciência Crística Universalista”, com muita aquisição de conhecimento (cognição), por saltos quânticos e taquiônicos, que deverá ocorrer nos Seres Humanos, que ainda estão prisioneiros desses paradigmas, que consagram noções de que o homem é uma espécie de máquina de sobrevivência e que é poderosamente o centro da vida. A tendência, com essa noção universalista, é a de se transformar, adquirindo uma conscientização sempre evolutiva. É preciso compreender que os avanços da bioquímica, vão desmistificando toda a história biológica da própria GÊNESE, reescrevendo-a de forma transparente, mostrando a inconsistência da obra de Charles Darwin, com a sua teoria de uma vida aleatória, solitária, materialista, predatória e sem sentido espiritual. Com os avanços e saltos dos estudos e pesquisas, desse compêndio bacteriano, e que nos vem mostrando que as bactérias são nossos ancestrais primevos, e que vida são bactérias e suas proles. A conclusão não poderia ser outra. Já é consenso nos meios científicos: entre Biólogos, Engenheiros Genéticos e estudiosos da matéria.
       Com a redescoberta do “Campo de Ponto Zero”, foi mostrado também, que as partículas subatômicas são inteligentes e trazem inseridos os códigos dos sentimentos, das emoções e das decisões. Fica muito fácil, compreender o “Campo de Ponto Zero”, com estas explicações.
       Podemos, também, chamar este “Campo de Ponto Zero” de “Campos de Energias” ou “Campos Espirituais, ou ainda, para esclarecer mais: “Campo Akáshico” ou “Campo Taquiônico”, que não tem uma localização exata, e que está por todo o Cosmos. Este “Campo de Ponto Zero” é de onde os “Espíritos” estão criando todos os sistemas de vidas, interagindo com os orgânicos, inorgânicos, com as malhas eletromagnéticas, e vão revestindo os chamados “corpos” de membranas e fluídos vitais. Isto nos dá a certeza, a convicção de que os Espíritos (Energias), não podem adentrar totalmente em corpos, porque os explodiriam, ou os implodiriam se com eles não interagissem, protegendo-os e revestindo-os com os fluídos vitais ou com membrana (pele), que, em física, denomina-se, usando apenas as duas últimas sílabas da palavra membrana (teoria das “branas”).
       A chamada materialização é manifestada pelos chamados “Plasmas” ou “Almas”, para organismos unicelulares, ou “Almas Grupo”, para organismos multicelulares de todas as espécies ativadas da Diversidade vital. (Uma Nota: Plasma é o 4º estágio da matéria, constituído de fluído vital, “orgânico e inorgânico. Aliás! Mais inorgânico. Exemplo: Somos constituídos de 70% de água (molécula inorgânica) 01% de íons e 29% de orgânicos (lipídios, triglicerídeos, etc.). Vejo o surgimento da materialização assim: “O Esperma Divino do Pai, chamado Luz, fecunda a Molécula Mãe, chamada Água, neste grande Útero Planetário, ou oceanos do Planeta GAIA. (O Planeta Vivo).
      Esperando haver trazido um pouco mais de lucidez, de compreensão, aos leitores, encerro esta matéria, convicto de que passaremos todos a ter uma nova percepção da vida como um todo, e fazendo surgir um novo paradigma para pesquisas, estudos e questionamentos. Inclusive derrubando tabús, como, por exemplo: Indexar titulações aos médiuns à sua condição moral. Titulações não significam competência para assuntos espirituais e morais. Sob a minha visão o que dá credibilidade ao Médium é o seu aspecto moral, ou a sua reforma íntima, desenvolvida pela expansão de sua Consciência Científica.
       Nota importante: A Física Quântica tem questões inacabadas, como por exemplo: “Campos Fechados”; “Corpos Fechados”. Esta noção está na contramão da evolução, isto, porque, num Universo em expansão, todos os sistemas fechados, são abertos por colisões, desintegrando-os, para que possa ocupar os espaços expandidos, outro equívoco incongruente: É determinar um “corpo”, para um “campo”.

                                Vamos definir “corpo” e “Campo”.
       “Corpo” é revestido por membrana ou fluído vital “éter, gás ozônio etc”.
       “Campo” não tem revestimento, é constituído de informação e energia, não tem membrana, nem fluído vital, apenas interage com eles, revestindo os corpos na proporção de 25%, e, dentro desses 25%, vai interagindo pela malha eletromagnética o tempo todo, com todos os corpos, pois a malha eletromagnética é um emaranhado interconectando todo o Metaverso. – Então as terminologias como “Corpo Astral, “Corpo Espiritual”; “Corpo mental”; “Corpo Energético” etc. fazem uma verdadeira confusão a nível científico e espiritual. É muito importante que a terminologia seja a mais apropriada possível da realidade científica atual. - Não é coerente, com os aspectos expansionistas, devido ser: “Uma total incongruência”, que poderia ser considerada uma involução. Essa coisa chamada de involução, não existe na expansão. Pois: Todo Metaverso está em expansão.

Um forte abraço e beijos no coração de todos.
Dilmar Dutra Médium Autodidata Científico