RADIESTESIA

Postado em 13 de novembro de 2009.
Por: Dilmar Dutra – Médium Autodidata Científico
FONTE: Diversos Espíritos.

HISTÓRICO:

Um Metaverso de Energias criando e manifestando fluídos de Águas nos Corpos e nos Campos Unificados Morfogenéticos, que podem ser detectados pela Geometria de sólidos Platônicos.

É uma técnica milenar, usada no Continente desaparecido, chamado Atlântida, seu criador, foi o Sumo Sacerdote Chiquitet Arelich Vomalites, na verdade, criou-se para mostrar uma ressonância natural estabelecida pela água e pelo efeito que a lua tem sobre ela, (água).

E foi partindo desse princípio, e sabendo que o nosso corpo é constituído de 71% dessas moléculas, Chiquitet, criou essa terapia holística, que a chamou de RADIESTESIA, para detectar por um tipo de ressonância, sem o uso do, “Raio X”, por entender, que o “Raio X”, danificava as células almáticas, ou úteros de água, e com isso, detectado o distúrbio, o desequilíbrio e a desarmonia, ele poderia, tratar o corpo almático, ao perceber e detectar a “ressonância da água no “Campo Espiritual”.

Uma Nota: (Para os interessados, os cálculos, equações e fórmulas encontram-se revelados pelo “Espírito Maria Madalena de Betânia”, ao fim da matéria).

Nossa abordagem tem um sentido amplo integral, universalista e em perfeita sintonia entre as Ciências Integrais e a Espiritualidade Integral que estabelece a relação, entre a naturalogia almática e ressonância magnética espiritual, passando pela cognição e evolução da consciência.

Com este conceito de consciência, nasceu ou renasceu, (Não sabemos por falta de registros) a medicina naturalista, com a denominação de “Radiestesia”, ou “Afecções ao nível físico e emocional das almas-grupo, desde as memórias filogenéticas até a criação dos cérebros, em inteiração total com as águas”. que foi a precursora da medicina moderna. Isto levou “Imhotep” ou “Hermes Trismegisto”, a criar uma Escola de Mistérios Espirituais, denominada de “OLHO DE HÓRUS” representando o falcão Hórus ou aquele que simbolizava a melhor visão, sob a pirâmide escalonada no deserto de Saqqara no Egito. Este entendimento, de que a água é o solvente da vida, deduziu-se que os princípios da diversidade eram compatíveis para estabelecer uma cura consorciada entre os distúrbios do desequilíbrio e da harmonia e desenvolver toda manipulação química, para uso terapêutico de cura, renascia ou nascia naquele momento, um registro da homeopatia e consequentemente da medicina moderna.

Por isso, eu afirmo: Que a “Escola de Mistérios Espirituais do Olho de Hórus”, em Saqqara no Egito, foi à primeira Faculdade de Medicina do Planeta. Muitos sábios lá estudaram, desde a China, passando pela Índia, Tibet., Grécia, e todo Oriente Médio, seus alunos mais notáveis foram o Imperador Kwang Yu da China, Buda, Moisés, Neo (Sócrates), Salomão, Meneleque I, Jesus de Nazaré, Maria Madalena de Betânia e muitos outros.

“Imhotep ou Hermes Trismegisto” fez história, por que lançou as bases da medicina Oriental e Ocidental. Construiu o Caduceu, deixou registros das manipulações dos medicamentos, localizou os chakras no corpo humano, ensinou a radiestesia com o nome de “Afecções ao nível físico e emocional das almas-grupo, desde as memórias filogenéticas até a criação dos cérebros”, em inteiração total com as águas. Para com a capacidade sinesteta, dual e bipolarizada, do “grupo celular”, hoje chamado, de reino celular com projeto espiritual (energético materializado bioquimicamente, pelos fluidos vitais almáticos com capacidade sinesteta, que significa: experiências de várias sensações, quando em confronto com o mesmo estímulo. É uma relação subjetiva que estabelece espontaneamente entre uma percepção e outra de um sentido diferente, ou seja, por uma percepção (sentido) pode-se determinar por um perfume, uma cor, ou ainda por um som, determinar uma imagem, perceber desequilíbrios e desarmonias a água etc. etc. “Para o médium: somos todos Sinestetas”. E os sinestetas são todos os sistemas vivos que têm, a capacidade para aquisições de conhecimentos, receptados do meio ambiente, pela plasticidade morfológica. Muito tempo se passou, ou seja, há mais ou menos 1,5 bilhões de anos surgiu a neuroplasticidade morfológica, melhorando a percepção sinesteta, isto ocorreu com os engolfamentos bacterianos, que resultou num compêndio de memórias filogenéticas, diante do abandono do canibalismo.

“O Campo Espiritual” construiu no “Corpo Almático”, uma localização, para agrupar esse compêndio de memórias filogenéticas, denominado hoje de cérebro, que é alimentado pela neuroplasticidade e pela plasticidade hereditária, pelos campos unificados de energias fundidas, ou simplesmente espíritos.

A radiestesia ou radiesesia. Existia como disciplina curricular, desde a antiga Atlântida. Os atlantes, conheciam os raios gama, de potencialidades expansionistas, e os raios X com velocidades 27 vezes inferiores a expansão Cósmica. Conheciam a Plasmônica e o mundo microbiano celular. Sabiam e tinham técnicas avançadas, para usá-los, manipulando-os através de máquinas quânticas como (a pirâmide de Saqqara, construída no Egito por Imhotep, ou seja, eles tinham a “Escola de Mistérios Espirituais” de Naacal). É um equivoco achar que isso é coisa nova, o que houve foi redescobertas. Observação: Eles eram tão avançados, e conheciam os hormônios e as enzimas, e os chamavam de substâncias interativas diluídas pelas águas para estabelecer os limites críticos das almas-grupo, e substâncias alquimistas da água com efeitos digestivos, que hoje são denominadas de hormônio e enzimas. Hoje, o procedimento é chamado radiestesia, que continua a medir os desequilíbrios e desarmonias das energias alocadas em corpos morfogenéticos, por forquilhas, por pêndulos de cristais, por aparelhos eletrônicos ligados a um computador, e outros objetos da mecânica quântica, para que, de alguma forma, possam detectar os desequilíbrios e tratá-los, para alcançarem o equilíbrio e a harmonia, um ser humano, com o efeito sinesteta desenvolvido, pode detectar essa ressonância, com uma simples forquilha de madeira.

A radiestesia foi, no passado, e ainda é, até hoje, um meio de medicina primeva, usada para localizar águas, nas unidades atômicas, constando os desequilíbrios e desarmonias constituídas em “Campo de Gaia”, Planeta Terra do sistema solar que o abastece de luz e energia e transforma a água para o estado líquido, bem como, funcionando como solvente dinâmico nos corpos bioquímicos de todos os sistemas vivos.

Vejam! Os “Campos Unificados e Morfogenéticos”, respondem sempre ao “Eu Mente Espírito”, que não tem uma localização exata no corpo, apenas reveste e interage, dirigindo tudo, do meio ambiente, ou do “Campo Mórfico Unificado supracitado, onde o espírito atua. Com esse conceito primevo extraído das culturas Atlante, Egípcias, Chinesas e Indianas, surgiu a radiestesia como medicina naturalista, ou seja, como terapia holística, tratando através das águas e das energias em desequilíbrios e desarmonias chamada, hoje, de Xamanismo ou de Pseudomedicina, ou ainda, pseudociência. Veja o que significa a terminologia pseudo na sua origem etimológica. (Naacal).

Pseudo: Uma terminologia usada pelo Sumo Sacerdote Chiquitet Arelich Vomalites, da antiga Atlântida, um especialista em energias interativas e telúricas, desde as águas, até os demais elementos da natureza. Na verdade o Sumo Sacerdote Chiquitet Vomalites, é o “Pai da Radiestesia”, e a palavra pseudo, foi usada para determinar falhas, ou seja, falhas geológicas (exemplos: Falha de Santo Andreas e outras falhas, falhas na cognição que significa “aquisição de conhecimento”, falha sinesteta, veja o que significa sinesteta no corpo desta matéria).

No Concílio de Nicéia, “Constantino”, que havia se convertido ao Cristianismo, deturpou a palavra pseudo, como falsa, para classificar os documentos apócrifos e agnósticos, por que ele Constantino, tinha tido uma visão, que o tornaria o imperador representante de DEUS pela CRUZ. E assim, consagrou-se a palavra “PSEUDO” como sendo FALSA para estabelecer descrédito aos apócrifos e agnósticos. Isso prevalece até os dias de hoje, esta explicação tornou-se necessária, porque na base de sua origem, a palavra “pseudo”, sustenta uma verdade, ou seja, a falha existe e não tem a conotação pejorativa de FALSA para determinar, coisa arranjada, forjada e enganosa, como “Constantino” fez para referendar “Heron de Alexandria”.

Já vimos que o espírito não tem uma localização exata no corpo, por que ele dirige tudo do meio ambiente, ou seja, do “Campo Espiritual” e o efeito sinesteta, também não tem localização exata, porque é uma inteiração espiritual que é detectada e percebida pela radiestesia, e por isso, usa tudo, que indique luz e água; orgânico e inorgânico; energias e fluídos, sempre pelos microtúbulos (Observação: existe microtúbulos em tudo no Metaverso).

Foi pela radiestesia, que as culturas de nossos ancestrais, descobriram a plasticidade, que era chamada de dualidade bipolarizada, ao se captar e perceber no meio ambiente, tudo o que interage por cognição e aciona os dispositivos sinestetas, captando-os, dentro e fora do chamado corpo, via alimentação, ingestão, respiração pelos pulmões ou pelos poros, ou ainda, pelos pêlos, além de outros recursos, disponibilizados pela complexidade a partir dos úteros criados pelo “EU MENTE”, ou “EU ESPIRITO”.

Uma nota importante: Os Árabes, também, influenciaram, decididamente ao conquistarem esse mundo narrado pelos Espíritos, só que com um detalhe, seu domínio, chamado de Mundo Árabe, como verá no decorrer destas explicações, tinham a perfeita noção de que a mistura de conhecimentos herdados de civilizações diversas, contribuía para unir conhecimentos, A alquimia, por exemplo, foi muito difundida pelos Árabes e eles foram os grandes responsáveis por salvar um pouco das verdades deturpadas por “Dario”, por “Alexandre”, por “Heron de Alexandria” a mando de “Ptolomeu”. Porque eram observadores e grandes matemáticos, conheciam álgebra e geometria, como os Indianos, por que mantinha relações amigáveis com troca de informações, isto muito antes da conquista.

Esse compêndio, pode por cognição (aquisição de conhecimento), perceber, por algum tipo de sensibilidade, que tudo interage com a chamada radiestesia, que atua no “Campo Espiritual”, que interage com tudo, inclusive com o “corpo fluídico almático, singular ou plural”. Isto foi possibilitado, porque, perceberam que o corpo é constituído de 71% de matéria inorgânica e 29% de matéria orgânica, um oceano de energia local e não locais, onde as energias “espíritos”, se nutrem dos fluídos, denominados de moléculas de água em estado, sólido, líquido e fluídico (de transformação adaptação e extinção).

Essa percepção, fez surgir a radiestesia terapêutica e holística a nível ambiental no mundo Árabe e, diga-se de passagem, foi e é extremamente eficaz, para detectar perturbações energéticas nos “corpos”, constituídos de células, que interagem com fungos, vírus, algas e parasitas, bem como, com os genes universais das hereditariedades bacterianas viventes nascidas das águas.

Pode-se, através da radiestesia, diagnosticar, esses distúrbios bipolares, da energia intaquiônica ou quântica, que se manifesta em carências e excessos, pelo sentimento, chamado de “medo” e sentidas no corpo.

Mas o corpo, pode também, sofrer influências ao interagir e manifestar-se, em energia taquiônica, ao ser acionada uma comunicação com o “eu mente espírito” pela consciência e, guardar na memória (cérebro), o código universal da harmonia, do equilíbrio, da neutralidade sem bipolaridade, que se manifesta como sentimento AMOR. E cabe a unidade almática, decidir (livre-arbítrio), do que vai alimentar-se mais, do medo ou do amor. Os conhecimentos miscigenados das culturas, Egípcias, Chinesas e Indianas, tiveram uma manifestação unificadora, ou seja, um conhecimento que vem de outro conhecimento, e ambos vêm do AMOR.

Mas essas miscigenações cognitivas, de aquisições de conhecimento, sofreram deturpações ao longo das conquistas de uma civilização sobre outras civilizações. Exemplo: “Dario o Grande”, Imperador da Pérsia, introduziu dogmas culturais. “Alexandre Magno”, também chamado de “O Grande”, através de “Heron de Alexandria” sob o comando de “Ptolomeu” general de Alexandre, que após sua morte, se intitulou faraó, introduziu dogmas religiosos, e dogmas econômicos, para que os Imperadores e Faraós, se transformassem nos representantes de Deus na Terra, e com isso, pudessem cobrar o chamado imposto eclesiástico. Consagrado até os dias de hoje.

“Maria Madalena de Betânia” classificou isso, de lesa humanidade e seus beneficiários de viventes do pão da vergonha.

Os dogmas deturparam muito, a noção da radiestesia como conceito espiritual e medicinal, implantou-se, uma noção religiosa (religatória), recheada de milagres e incongruências e falsidades arranjadas para conquistar adeptos ou contribuintes para suas causas.

A radiestesia é justamente o oposto de religação, por que, era, pela radiestesia, que se percebia, a plasticidade e a capacidade sinesteta interativa dos corpos almáticos inorgânicos e orgânicos, que se constituem em fluídos, para nutrirem as energias, e por ela, “radiestesia” se obtinha um diagnóstico, e a partir daí, podia influenciar a autocapacidade, manifestada pela inteiração, pelo equilíbrio e pela harmonia, extraindo do meio ambiente desse consórcio, ligadíssimo a uma simbiose holística e helicoidal contidas na “Holarquia Divina”, e toda cura era alcançada.

A radiestesia foi à palavra escolhida para a manifestação absoluta das inteirações dos “cérebros almáticos” com as “mentes espirituais” para colocar a ordem no caos, ou seja, captar, colher resultados, de equilíbrio e harmonia de corpos, inseridos nos campos morfogenéticos, carregados de águas.

Vamos citar um exemplo de um conceito incongruente estabelecido nas faculdades de medicina do Planeta, e que é altamente prejudicial aos seres mamíferos, referente à água.

Hoje a chamada medicina moderna, orienta as mães no sentido de não dar água aos recém nascidos, afirmando que o leite já possui água. Com relação a não dar água, é um tremendo equívoco de modernidade, na contra mão da natureza. Agora! É realmente verdadeira, a afirmação que no leite existe água.

Uma Nota elucidativa: Existe água em todos os sistemas vivos. E a água é o maior solvente vital. E com certeza. Ajuda a diluir o colostro, o leite materno e evita acidez estomacal.

Estas crianças ficam irritadas, chorosas, e podem apresentar diversos sintomas, desde uma simples alergia ao próprio leite materno, até uma alergia crônica, além das chamadas desidratações. A criança com falta de água filtrada e fervida apresenta dores de cabeça, cansaço, e isso é potencializado quando se administra medicamentos pediátricos e sintéticos para combater, principalmente, uma suposta “acidez estomacal” (muito comum, nos recém nascidos que só bebem o leite, seja materno ou não). A afirmação: Que no leite materno, contém água, como dissemos, é verdadeiro. Mas e daí! - Não dar água, ao próprio filho com base nesta afirmação, é um exagero sem precedentes ou falta de observação, ou ainda, não considerar a radiestesia como orientação primária e eficiente.

O corpo de todos os sistemas vivos é constituído de um montão de moléculas inorgânicas de água como o solvente da vida, ou seja: 71% de inorgânicos (água e íons) e de 29% de orgânicos que em sua maioria são DNA e RDA (ácidos nucléicos) e proteínas (carboidratos) por sua abundância no ambiente, além de fibras, hemácias, soros, fragmentos bacterianos, um pouco glicídios, um pouco de lipídios e um oceano de água.(Porque a água é o solvente da vida).

Tudo que é celular contém água, mas nem por isso, seres vivos podem ficar sem ela, (leiam o Link “A neuroplasticidade morfológica em especial a parte nove (9).

Os animais mamíferos – Buscam logo após o parto, a água e a argila, depois da primeira mamada. A água como solvente e purificador, a argila para suplementar o leite, que pela noção cognitiva, de que seu leite pode precisar da água, porque ele é fruto da sua dieta, e que não pode ser escolhida e selecionada, é preciso ter leite, mas mesmo assim o animal escolhe no meio ambiente. E o animal humano (sabe o que esta comendo? Sabe o que está bebendo? Você pode até pode escolher pelo rótulo, mas e você sabe seu conteúdo? Geralmente esses produtos são industrializado, não é mesmo)?

Isto é para reflexão:

Uma Nota Importante: Observe o bebê, ele pode estar ingerindo água na banheira, na bacia, ou seja, na hora do banho. Uma água com sabão, com xampu, e sei lá o que mais! – Se você AMA de verdade o seu bebê, de a ele água filtrada e fervida, esqueça a modernidade, lembre-se! Sua mãe te deu água e não aconteceu nada com você.

Em tempo: Radiestesia vem do latim radius e significa radiação e aisthesis, de origem grega e que significa sensibilidade (ou sensibilidade a radiação).

Os críticos da radiestesia afirmam que: é uma “Pseudociência”, ou uma “Pseudomedicina” sem qualquer fundamento – James Randi, foi seu maior crítico, chegou a oferecer um desafio paranormal de um milhão de dólares. Alguns autores colocam a palavra “pseudo” como se fosse “falsa”. Não é, “pseudo” significa falha.

A inteiração da noção sobre radiestesia, só chega por cognição, e passa pela radiônica, pela geobiologia, pela acupuntura, pelo reiki, pela medicina oriental, e pelas terapias holísticas. Foram no passado, sempre tratadas, com seriedades científicas, e que vem passando hereditariamente de civilizações para civilizações e, chegam deturpadas aos dias de hoje.

É preciso ter capacidade observadora e reconhecer, os resultados de uma inteiração primária, com noção muito antiga, entre a Alquimia, Xamanismo, Elemento Terapia, até chegar à moderna biomedicina, com os avanços em Hidrocolonterapia e Imunização. Todavia, precisamos saber primeiro o que é isso?

(01) - Alquimia: É um conceito herdado da antiga Atlântida difundida pelos árabes – “Al- Khemy” e quer dizer “A Química” – Esta palavra consagrou-se no Oriente Médio. Na verdade a China e o Egito herdaram dos Atlantes e da língua “Naacal” (Alckaarte) para determinar inteirações de elementos inorgânicos, orgânicos com a Física Quântica, Astrologia, Arte, Metalurgia, Medicina e Xamanismo.

(02) – Xamanismo: É uma metafísica desenvolvida pela “arte de curar”, pelo fluxo da natureza, em perfeita harmonia da “dualidade bipolarizada”, hoje chamada de Plasticidade e Neuroplasticidade.

(03) – Elementoterapia: Um estudo e atividades que busca revelar os caminhos e mistérios espirituais da consciência e do autoconhecimento, para harmonizar e equilibrar, o corpo contido no campo, e é parte importante da “radiestesia” em português e “radiesesia” em Espanhol. Foi chamada na China de “Elementoterapia” e “Massoterapia”.

(04) – Hidroconterapia: Síndrome do intestino irritável é uma terapia, indicada contra o estresse, fadiga, insônia, distúrbios emocionais e prisão de ventre.

(05) – Imunização: Diz-se de um conjunto de métodos terapêuticos, na verdade! É uma aquisição de proteção imunológica, para aumentar a resistência do fluído almático ou da unidade atômica e desenvolver uma defesa, contra distúrbios, orgânicos e energéticos, que se manifestem como enfermidades, moléstias e doenças.

(06) – Fluído Almático: Definição do espírito “Maria Madalena de Betânia”: “Fluído Almático” ou “Plasma”. Na verdade, é o quarto estado da matéria, ou ainda, baixo energia “dos átomos” (em estado sólido, líquido e gasoso). O plasma ou fluído almático vital, foi redescoberto nos anos 40 e constitui 95% de todo o nosso Universo (Paralelo) e visível, iluminado pela luz, que mostra os pólos opostos de uma mesma realidade de projetos almas unicelulares, e almas grupo, multicelulares, isto significa que almas ou almas grupo, são feitas de átomos, que são constituídos de pequenas partículas chamadas prótons (com carga positiva), representada pela dualidade bipolarizada chamadas de neutros e elétrons (com cargas negativas), tendo maiores liberdades de locomoção, justamente por ficarem nas extremidades de opostos, do canal duploetérico microtubular. A energia “Eu Mente Espírito” funde isso tudo, pelo calor extremo e por alta pressão colisora, forças iguais na colisão se anulam, se neutralizam, fazendo surgir, uma energia equilibrada e harmoniosa, chamada de Energia Taquiônica Espiritual, assume o controle pelo Campo Unificado Taquiônico, reveste e interage numa proporção de 25% mais ou menos para dirigir em bilocação a materialização em carne do meio ambiente e é sentida como AMOR.

A energia “Intaquiônica ou Quântica” assegura o código universal bacteriano DNAs pelo mesmo processo de ionização em plasma, ou seja, manifesta-se produzindo um gás, da mesma forma espiritual, ou seja, com uma quantidade baixíssima de elétrons e de energias baixíssimas, faz o gás alcançar o 4º estado da matéria chamado de plasma ou almas, ou ainda, almas grupo. Esta condição estática, ganha dinâmica por que é conduzida pelo espírito do meio ambiente apropriado, ou seja, do Campo Unificado Espiritual.

Como se media a ressonância do efeito da lua, sobre as águas, por uma equação geométrica e de álgebra para fugir do uso de “Raios-X”, que segundo Imhotep ou Hermes Trismegisto, traria prejuízo ao tecido celular almático. Tudo era feito a partir do número de “Python”, ou simplesmente em português “PI”. Por este sistema media-se principalmente a influência da LUA sobre as águas de nosso Planeta, e as alterações sofridas pela movimentação e distância em que a lua se encontrava estabelecendo um ciclo dos elementos do sistema solar, ciclos que interagiam entre si, contidos na Galáxia, no Universo Paralelo que por sua vez, estaria contido no Metaverso que se encontrava contido em DEUS, uma grande simbiose quântica, contida na “Holarquia Divina”. E como tudo tem correlação, e a correlação vai da água a vida. E vida é bactérias e suas proles. Sem a água não poderá haver vida, da maneira que conhecemos. Então a água é o ponto de partida para vida, para saúde e para curar. Feitas as explicações vamos aos cálculos.

Suponhamos que, um número real positivo, seja identificado como “K” no ponto de fuga observado: “K”, 0 # K # = 3.14;

O número, real positivo, M, M # 0.

O primeiro do pólo magnético, o segundo do pólo verdadeiro.

O número inteiro N (número de inteirações)

O número inteiro X = 0 (como valor inicial)

O número real positivo EPS

Com essa aproximação, calcula-se uma proximidade da integral de F (X) = COS (X) entre 0 e o K pelo método escolhido de um dos sólidos platônicos, também chamados de sólidos geométricos.

EXEMPLO ESCOLHIDO: Um retângulo. Usa-se o método da congruência multiplicativa relatada:

COS (x) = 1 sobre x2, sob 2! +sobre x x2 sob, 4! – sobre x6, sob 6! + sobre (-1)1x2j sob (2-j)!

Incluindo na soma todos os termos até que encontre 10-8

Assim sobre x2j sob (2-j)!

O número de “PI” significa a razão entre o perímetro de um círculo e o seu diâmetro. Produz-se o número “PI”, ou seja, é um número transcendental, pois não é RAIZ de nenhum polinômio de coeficientes inteiros, por isso, pode-se medir, matéria, plasma, moléculas, interior e exterior por ressonância sem o uso nocivo do “RAIO X” – OBSERVAÇÃO: A ressonância magnética é baseada nesta equação, e é por isso, que a RADIESTESIA, não pode ser relegada ao conceito de PSEUDO, seja como falha ou como falsa.

Termino esta matéria, de autoria de diversos espíritos, como “Imhotep ou Hermes Trismegisto”, como Jesus de Nazareth e Maria Madalena de Betânia.

Afirmando que a “Radiestesia Holística”, deveria ser obrigatória como disciplina, nas cadeiras biomédicas, mesmo porque a medicina moderna teve sua origem na Radiestesia Holística.

Um forte abraço e um beijo no coração.

Dilmar Dutra – Médium Científico e autodidata em Ciências Integrais e Espiritualidade Integral em Perfeita Sintonia.


Observação: Leia matéria do Professor da USP Arnaldo Lichtenstein, Médico do Hospital das Clinicas sobre a "A ÁGUA" é muito importânte Clique aquí para abrir.