“UMA NOVA ERA DO GELO”

A regeneração dos sistemas vivos telúricos narrados em capítulos por Dilmar Dutra e por Jose Eduardo Antonio de Mattos.

PRIMEIRO CAPÍTULO

A cargo de Dilmar Dutra médium autodidata científico.
Postado em – 01 de junho de 2010.

Autores: Diversos Espíritos, consorciados com estudos científicos de autoridades científicas de professores e educadores viventes no Planeta.

     As mensagens espirituais conduzem-nos a uma nova Era do Gelo em Gaia (o Planeta vivo em que vivemos) que será provocada pelo complexo de vulcões que entram em erupções em cadeia a cada 25.920 anos, num ciclo que já ocorreu 172 mil vezes em 3.8 bilhões de anos, esta informação é da comunidade geológica que estuda, acompanha e supervisiona esses fenômenos, uma erupção em cadeia das principais “caldeiras vulcânicas” comprometeria nossa atmosfera, inicialmente impedindo os raios solares de chegarem ao Planeta face a uma grande nuvem de fumaça e fuligem (cinzas vulcânicas) que impediriam os raios solares de chegarem aos sistemas vivos, das diversidades das espécies, constituídas de células da cadeia retroalimentar almática.

    Estamos muito perto de finalizar mais um ciclo, dentre muitos que já ocorreram num passado longínquo em nosso “LAR PLANETÁRIO”.

     Nossas observações desembocam num único conceito chave, os sinais das atividades vulcânicas Planetárias, elas vêm, dando-nos uma noção de um início, de que esta cadeia já se encontra em atividade e surgindo, até mesmo onde se supunha não existir, em localizações e regiões do continente Sul Americano.

     Exemplo: Algumas estruturas de colapso desenvolvidas em regiões vulcânicas em cadeia pelo Orbe (Planeta) trazem suas formas circulares de grandes dimensões denominadas de “Caldeiras Vulcânicas”.

      Isto sempre foi previsível, o que não era previsível, agora tornou-se previsível, caso do Brasil, pois a subida do continente Sul-Americano em centésimos de milímetros todos os anos, vem mostrando aos pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) ao descobrirem em 2002 uma formação de uma “Caldeira Vulcânica” de aproximadamente 2 bilhões de anos e que é a mais antiga do Mundo em estado preservado, foi o que afirmou em agosto de 2002 o professor e cientista do Instituto de Geociência da USP Caetano Juliani coordenador dos estudos feitos na área da bacia do Rio tapajós no Pará.

      Por outro lado a mesma conclusão e opinião vêm da UFPA (Universidade Federal do Pará). Através da equipe coordenada pelo Professor “Roberto Dall’ Agne” que também, faz estudos na região. Esta colocação vem derrubar dogma científico de que no Brasil não existia “Caldeiras Vulcânicas”.

      Na verdade o complexo vulcânico brasileiro esta reaparecendo entre nós e leva-nos a pensar (imaginar) sob uma observação e abordagem cautelosa diante dessas e de outras descobertas cientificas na ultima década que passo a comentar e narrar.

COMENTÁRIO DO MÉDIUM.

      Venho acompanhando muito de perto todas as publicações dos avanços científicos, com redescobertas e descobertas nas diversas áreas da Física, Química, Biologia, e suas tecnologias, bem como, em todas as outras ciências Paleontológicas, geológicas e arqueológicas etc. E foco sobre elas, a minha maior atenção e observação.

      Segundo a espiritualidade comunicante, não pode existir verdades obtidas em uma só ciência em particular. A verdade precisa ser buscada nas ciências integrais (todas elas em perfeita sintonia e inteirações naturais). Estas mensagens espirituais despertaram nesse médium que expõe sua opinião um interesse em estudar em conjunto, abordando detalhes que na maioria das vezes passam despercebidos, como a grande transição adaptativa do universo de novas espécies da diversidade que vem surgindo no meio ambiente de forma mais adaptadas, em substituição as já existentes, caminhando para a extinção. Essas novas espécies surgem no fundo dos Oceanos, como se estivessem se preparando para uma nova sedimentação, registra-se superficialmente um número inimaginável e impossível de ser catalogado face à diversidade colossal observada, aonde o sistema “Gaia e Telúrico” age e reage de forma objetiva e recorrente. Isto, do ponto de vista espiritual Taquiônico, Almático Quântico. É maravilhoso, é Divino, é fruto do AMOR UNIVERSAL.

       Nossa opinião consolida a seguinte conclusão. {Pensamos e imaginamos, diante de uma retrospectiva ciclal, a partir do “suposto homo sapiens” como espécie celular que a teoria Darwiniana, diz ser oriundo do macaco ou de outros animais quaisquer, é inconsistente. Para nós, todos têm a mesma matriz bacteriana, - Espiritual (como projeto com um código de criação definido taquionicamente e eterno) - Almático (como plasma de “condensação quântica” de transformação, adaptação e extinção) – Físico com membrana constituída de memória filogenética e microtubular, como unidade atômica de vida e morte, constituída de água, íons (inorgânico) e proteínas, lipídios, triglicídios etc. (orgânicos) tendo como matriz de criação a célula que evoluiu em consciência da unicelularidade (divisão binária) para a multicelularidade (meiose) pelo verbo Divino (crescei e multiplicai-vos via sexo direto ou indireto}.

       Nota Complementar: Sob minha ótica e fazendo retrospectivas das ciências integrais, o homo de neardenthalensis, o homo erectos, nunca foram resultados de extinção, mas todos foram resultados da mutação adaptativa ao abrigarem-se em cavernas e andarem de quatro, num período ciclal de radiação cósmica, mudança de era e atmosfera exterior imprópria.

       Todavia continuo a expor pelas observações que as espécies humanas e outras domesticadas, assim também como, outras espécies acuadas de seus habites naturais destruídos pelo consórcio seres humanos natureza, teve as portas das adaptações fechadas e estagnadas pelos dogmas humanos. É nosso dever moral, alertar e buscar uma discussão civilizada e ecumênica para uma preparação pela biotecnologia, vontade social, econômica, espiritual, religiosa, mística, exotérica, esotérica, materialista, etc. Para tratar da transição adaptativa de proteção, preservação, máscaras com filtros, abrigos, silos de armazenagem de sementes, alimentos, abrigos para seres humanos e animais domesticados a exemplo da história bíblica da “Arca de Noé”

       Neste contexto eu pessoalmente acredito muito nos seres humanos em equilíbrio, em harmonia que nos conduzirá a racionalidade, a espiritualização, pois o consórcio de intenções já vem buscando nas preces, nas orações, renovar as esperanças, os pensamentos de positividades em equilíbrios, transformando os aspectos de negatividade em intenções, aceitações e ações no sentido de prevenir, amenizar estas condições ciclais e telúricas no sentido de proteger, preservar a própria espécie e as domesticadas, dando ênfase prioritária ao sistema vital, como um “Todo” porque não poderemos viver sem eles.

       É hora de dar um basta, nos dogmas, na busca pelo poder, nas corrupções, nas ganâncias, nas imoralidades e alocarmos recursos na preservação do meio ambiente por que todos nós somos mais meio ambientes do que genômicos. A distribuição de “mascaras filtros” a população deve estar pronta para distribuição, bem como, criar abrigos subterrâneos, silo de armazenagem de sementes e de alimentos, assim como de água potável. Isto é o que se tem de fazer imediatamente enquanto dá tempo. Criar brigadas com equipamentos para sair dos abrigos e providenciar o necessário, designar recursos para sustentar a biotecnologia da Plasmônica a Nanônica e com isso descobrir meios de regenerar e preservar nossa própria Espécie na Diversidade Planetária. Acredito muito que ainda vai dar tempo, se não da adaptação genômica, mas de criarmos espaços físicos adaptados a nova realidade ciclal.

       Finalizo este Primeiro Capítulo. {Esclarecendo, que se todas as “caldeiras vulcânicas” entrarem em erupção, jogando cinzas e fuligens na atmosfera. Com certeza: Teremos um inverno “tipo nuclear” e, entraremos numa nova ERA DO GELO, que se manifesta sempre, por ciclos (períodos), neste caso, a cada 25.920 anos e precisaremos estar também preparados para este fenômeno climático}.

       Enquanto houver um fio de VIDA, haverá esperança e poderemos sempre PLASMAR O AMOR, pelos sistemas vivos; Pelo meio ambiente e pelo Planeta.

Um forte abraço e beijos no coração.

Dilmar Dutra e Marlene Daltro

"Uma Nova Era do Gelo"

Mistérios da Ciência - Era do Gelo 1/5


Mistérios da Ciência - Era do Gelo 2/5


Mistérios da Ciência - Era do Gelo 3/5


Mistérios da Ciência - Era do Gelo 4/5


Mistérios da Ciência - Era do Gelo 5/5